Bons motivos para trabalhar com Mídias Sociais

– Porque as mídias sociais deixaram de ser um ambiente exclusivo para jovens em busca de diversão e relacionamentos.
Empresas estão cada vez mais usando ferramentas de relacionamento para interagir com cliente e prospects.
Falaram do seu cliente nas mídias sociais? A resposta pode vir no mesmo momento, se o serviço de monitoramento estiver entrelaçado a relacionamento e produção de conteúdo digital. No caso de empresas com grandes problemas operacionais, como empresas do ramo telefônico, que são muito criticadas, isso seria algo muito positivo se utilizado efetivamente. Mas o que acontece na maioria dos casos, infelizmente, ainda é o uso dos perfis em mídias sociais como broadcasting.

– Porque o mercado mudou e o consumidor também.
Pouco tempo atrás, definíamos mercado em termos geográficos, por categoria ou grupos socioeconômicos. Hoje os melhores mercados são as redes. Elas são organizadas e inteligentes. Movem-se facilmente por meio de limites físicos e pelo fato de as pessoas terem razões coletivas para estar juntas e também necessidades, motivações, preferências e lealdades coletivas.

– Porque as tecnologias digitais criaram novos caminhos.
Esses caminhos ligam pessoas com as mesmas afinidades, que antes estavam separadas geograficamente, por status social e econômico, por etnia ou religião.

Porque essas pessoas agora se conectam por paixão.
Seus interesses ou atividades conduzem suas prioridades, suas atitudes, comportamentos.

Porque o valor das mídias sociais para a sua marca é inesgotável.
O valor não reside no tamanho de uma comunidade, mas sim na quantidade de pessoas que interagem dentro dela.

Porque a diferença entre mídias tradicionais e mídias sociais é significativa.

Mídias Tradicionais

—- Acesso controlado pela localização e horários;
—- Conteúdo produzido, editado e distribuído mediante pagamento;
—- A experiência é profissional, padronizada, transacional e previsível;
—- O público é um consumidor passivo.

Mídias Sociais

—- O acesso é aberto a qualquer um, de qualquer lugar (no planeta), a qualquer momento;
—- O conteúdo é autogerado e distribuído gratuitamente;
—- A experiência é colaborativa, baseada nos interesses e nos relacionamentos dos usuários;
—- O público é criador ativo.

– Porque investir em Mídias Sociais é muito mais viável do que em mídias tradicionais, ainda mais em momentos de crise e pouca verba para gastos em marketing .
Como um negócio ou uma marca, as empresas devem participar de mídias sociais, em especial daquelas com perfil semelhante ao de seus clientes-alvo. Se elas não podem ser proprietárias de comunidades de clientes, podem influenciá-las e apoiá-las. Podem escutá-las e aprender com elas, e encorajá-las em relação à sua marca.

– As mídias sociais oferecem novas oportunidades:

—- Alcançar novos públicos;
—- Atingir com precisão determinados segmentos de forma mais pessoal;
—- Oferecer soluções mais abrangentes;
—- Apresentar um experiência de marca mais rica para cada cliente.

Com informações do Blog The Buzz

Anúncios

SEO para jornalistas e redatores?

Andei lendo bastante esses dias sobre SEO (search engine optimization) e poucos jornalistas sabem o quão é importante para nós. O texto é o chamariz para o SEO. Escrever bem é o mínimo que se espera de um jornalista.

Muitos não sabem o que é SEO. Ok.

Bom, basicamente SEO são técnicas que tornam um site mais fácil de ser encontrado, melhorando seu reposicionamento – afinal, quem não quer aparecer na primeira página do google? Estatísticas mostram que ao realizar uma pesquisa no Google, 60% das pessoas clicam nos três primeiros resultados e 80% não vão para segunda página de resultados.

O jornalista e os redatores tem papel de extrema importância na otimização.  Ser indexado pela realidade da internet deve ser o foco do novo release, da nova configuração das Agências de Comunicação – as agências 2.0.

Para que seu texto seja “visto”, um texto bem escrito faz a diferença.

1- Título da notícia – Precisa ser relevante e conter o assunto principal da notícia: palavra-chave

2- Uma url clara, utilização dos padrões web, títulos de página racionais e a correta utilização das tags html que é linguagem utilizada para construir páginas web.

3- Tags diretas e certeiras

Esta realidade, entretanto, está mudando. Os jornais e revistas impressas que possuem suas versões online já perceberam que foram passados para trás. A “otimização” já é realidade ou tema obrigatório de reuniões em várias redações. O que falta ainda, muitas vezes, é a aplicação dos conceitos. Mas isso é uma questão de tempo e de concorrência. Marcelo Ribeiro

Não me espanta se a partir de agora algumas empresas começarem a buscar por candidatos com conhecimento em SEO para compor a sua equipe.

Conheça algumas ferramentas SEO que podem ajudá-lo no processo de otimização do seu site.

Livros sobre SEO em espanhol para download

 

Update

Leia este artigo!