Sistema Educacional na Noruega: o que Raquel Sheherazade precisa saber.

Essa semana fui bombardeada por amigos que, motivados pela declaração da jornalista Raquel Sheherazade na última semana, queriam saber como funciona o sistema educacional aqui na Noruega. A jornalista, em entrevista ao Programa Pânico, da rádio Jovem Pan, disse que O jovem na Noruega tem tanta informação e oportunidades quanto os jovens do Brasil”. Não vou entrar na questão política, apenas explicar como funciona o sistema aqui na Noruega, do berçário até a universidade.

A Noruega preza pela igualdade. Diferente do Brasil, na escola que seu filho frequentar, ele vai ter amigos de todas as classes sociais, exilados, imigrantes, tudo junto e misturado. Eles crescem sabendo respeitar as diferenças. Engraçado que isso é uma coisa que me faz brilhar os olhos. Na minha vida escolar no Brasil, do maternal à universidade eu era a única negra da sala. Aliás, erámos no máximo 2. Cresci em um meio escolar racista e preconceituoso, em que a cor da minha pele provocava nojo em algumas pessoas (ouvia muitos xingamentos) e burburinhos por onde eu passava.

O acesso ao sistema escolar aqui é gratuito e, em alguns casos o sistema é integral. É bom frisar que em todos os casos acima existe um fee anual, que é praticamente nada.

O ensino é de qualidade, os professores se especializam e tem cursos de reciclagem oferecidos frequentemente. Além do mais, os salários são compatíveis com a atividade, mas como qualquer cidadão, eles vão às ruas e fazem greve, como ano passado no mês de agosto, quando reivindicaram por melhores condições e horas de trabalho.

Vamos então ao que interessa, como funciona o sistema por aqui:

Barnahagen

Esse período é voluntário: você matricula a criança se você quiser. A licença maternidade/paternidade na Noruega dura (somadas), um ano. Após esse período, você pode matricular seu filho em uma creche, chamada aqui de Barnahage. Não é obrigatório, mas para as mães que precisam trabalhar, é uma mão na roda. Se a mãe fica com a criança em casa, ela recebe para isso. Na escolinha as crianças aprendem a conviver com outras e tem atividades educativas, assim como no Brasil.

 Grunnskole: barnaskolen e ungdomsskolen

Esse período escolar é obrigatório, gratuito e vai dos 6 aos 15 anos de idade. Se a criança não for para a escola, os pais são reportados. A criança não tem “nota” até chegar ao próximo nível, aos 10 anos. É quando eles aprendem a ler e escrever e já começam a aprender uma segunda língua, o inglês. Em algumas escolas, nessa fase são ministradas aulas de francês e espanhol. Claro, além das matérias que já são nossas conehcidas, como história, matemática, biologia…

Videregående: 16 – 19 anos

É voluntário, mas também gratuito. Posso comparar ao padrão brasileiro de ensino médio. Existem duas divisões: Studieforberedende ou Yrkesfaglige, que, em bom português é a preparação para a universidade, em que eles escolhem a área de atuação – exatas, humanas, saúde; e Escola Técnica, onde eles aprendem a cozinhar, a fazer pequenos reparos em carpintaria ou mecânica, por exemplo, e já começam a receber um salário e a pagar suas taxas.

Universitet e Høyskole

Voluntário e gratuito, mas com a opção de universidade privada, que chega a custar 15 000 euros por semestre. Høyskole é a nossa versão para faculdade. Durante o curso, se o jovem não tem como conciliar os estudos com o trabalho, o governo subsidia 30% de um empréstimo de cerca de 3.850 reais mensais (10 000 kr) até a conclusão.

Como brasileira, sei que o jovem no Brasil não tem acesso a ¼ do que eu escrevi. Além dos cuidados básicos em saúde ou até mesmo saneamento, o sistema educacional aqui funciona e transforma o jovem através da variedade de atividades e matérias ensinadas na escola. A declaração da jornalista seria cômica se não fosse trágica. Sabemos que a distribuição de renda e da riqueza no país determina o acesso e a permanência dos estudantes na escola, a chamada cultura elitista, ativa no Brasil. Já por aqui o que se vê é uma sistema educacional para todos, sem ser excludente ou homogêneo.

norskkurs

[Passeios em Osl/ Tours in Osl] Sledding at Korketrekkeren / Corrida de trenó

[ENGLISH BELLOW]

Depois de um longo e feliz mês, talvez mais, viajando por aí, aqui estou, de volta ao meu solitário blog.

Então amigos: o inverno tá na área e muitas pessoas me perguntam o que fazer para tentar melhorar a situação. Eu não sou fã do frio, mas eu aprendi a lidar com isso. O que significa: atividades – snowboarding, patinação no gelo, sled…

Um dos mais famosos tobogãs começa em Frognerseter e termina na estação de metrô Midtstuen. No final de uma corrida, você pode pegar o metrô de votla para Frognerseteren e descer novamente. Você pode alugar o seu trenó por 135 kr (preço adulto: óculos + capacete inclusos) para o dia todo. Eu nunca desci mais do que duas vezes porque demora tanto para o metrô chegar que você acaba desanimando.
Posso dizerque eu amo andar de sled. Super ivertido, mas também pode ser perigoso. Quero dizer, você precisa de proteção sempre. Eu já fiz algumas vezes e toda vez parece que é a minha primeira vez descendo a montanha. Se há muita neve, você vai ter velocidade suficiente para fazer os 2000m em aproximadamente 10 minutos.

Vale a pena ir cedo, almoçar por lá e de quebra curtir o visual! Acesse um dos meus vídeos aqui e veja como funciona 😀

Antes de chegar à montanha, você pode verificar a câmera ao vivo e ver se vale a pena (se há neve suficiente).

Mais informações aqui.

Holmenkollveien 0710 Oslo. Telef. 22 49 01 21 .info@akeforeningen.no

 [ENGLISH]

After a long and happy month (maybe more) travelling around the globe, here I am, back to my solitary blog.

So, folks: winter is here and many people keep asking me w h a t  t o  d o to make things goes better. Im not a winter fan, but i learned how to live with that. What means: snowboarding, iceskating, sled…

One of the most famous toboggan run starts at Frognerseteren and ends at Midtstuen metro station. At the end of a run, you can catch the metro back up to Frognerseteren for another run. You can rent your sled for 135kr  (adut price: googles + helmet included) for all day. I never had more than 2 rides because its so annoyng wait for the metro – which taked like 15 minutes to go back to the start.

I can tell you that i LOVE sledding. Its fun, but can also be dangerous. I mean, you need to use the protection if you are a newbie. I have done a couple of times and every new time sounds like my first. If there are a lot of snow, you will get velocity to reach the 2000m in approximately 10 minutes.

Before reach to the mountain you can check the live camera and see if its worth it (if there are enough snow).

Its worth to go early, have lunch there and enjoy the view!

More information here.

Holmenkollveien 0710 Oslo. Telef. 22 49 01 21 .info@akeforeningen.no


Korketrekkeren2
Korketrekkeren3

Korketrekkeren

[#GoNordic] Meu guia para fazer amigos na Noruega #fail

ENGLISH BELLOW

NORSK 

Não é um segredo que os noruegueses são pessoas extremamente privadas.

Ao contrário dos brasileiros, eles são mais contidos e raramente iniciam uma conversa por conta própria. Mas, como dizemos no Brasil: “Eu sou brasileira e não desisto nunca.”

Eu fui para uma das opções Restaurante Day em Oslo, na Mesh, o espaço coworking mais cool da cidade. Decidi primeiro porque eu sou uma grande fã de comida espanhola, outra porque eu estou familiarizado com a Mesh, já que eu sou voluntária no CreativeMornings Oslo. Mesh é o lugar perfeito para conhecer pessoas legais e agradáveis. Você pode ir para o Café, ou, nos fins de semana, para uma cerveja no Seeds. Foi o primeiro lugar que eu vim quando me mudei para a Noruega e onde conheci a primeira pessoa que hoje, com muito orgulho eu chamo de amiga, a Krizsti.

A primeira coisa a fazer amigo na minha opinião é sempre ser você mesmo. Como eu disse em outro post, eu sou expansivo, eu falo muito, e eu tocar as pessoas. Aqui eu fiquei tímido, mas eu sou o mesmo, eu apenas tocar menos e estou um pouco cuidadoso quando eu falar com alguém.

Eu acho que às vezes eu afasto as pessoas, porque eu sou muito, como posso dizer, brasileira. Chego a ser histérica. Eu adoro abraçar, beijo na bochecha. Eu me seguro muito aqui, me adaptei aos costumes: cultura é algo que eu respeito muito e, onde quer que eu vá, eu tento seguir as normas. Obviamente os meus amigos gostam de mim do jeito que eu sou. Mas é bem diferente, eu aprendi a ser mais reservada, falar menos (!!!!!!!) e dou menos beijos nas bochechas alheias haha

Eu ainda tenho problemas para parar noruegueses e convidar para uma sessão de Jazz, como era a minha missão. Fui sozinha e passei um tempo lá, bebi uma Coca-Cola, pensando por que é tão difícil para mim fazer isso acontecer na Noruega.

Meu desafio Expedia do dia foi conhecer noruegueses e convidá-los para uma sessão de Jazz incrível que acontece todos os domingos, e tem entrada gratuita.

Eu falhei. Eu não fiz amizade com nenhum norueguês, mas eu conheci uma garota brasileira que acabou de se mudar para Oslo para ser diplomata na Embaixada do Brasil, a Cris. Além disso, eu estive com a minha amiga Sasha e Roger, da Rússia e Suécia. E também Alex, um fotógrafo espanhol de Valência, que agora vive aqui, preparou um delicioso e perfeito menu para o festival.

 

My guide to befriending introverted and private Norwegians

Is not a secret that Norwegian people are extremely private people.

Unlike the Brazilians, they are more contained and rarely start a conversation on their own. But as we say in Brazil: “I am Brazilian and I never give up.”

I went for one of the Restaurant Day options in Oslo, at the coworking space Mesh. I decided first because I’m a huge Spanish food fan, other because I’m familiar to Mesh, since I’m volunteer with Creative Mornings in Oslo. Mesh is the perfect place to meet cool and nice people. You can go to the Café, or, on weekends, for a beer at Seeds. Was the first place I came when I moved to Norway and where I met the first person that today I proudly call friend.

The first thing to make friend in my opinion is always to be yourself. Like I said in another post, I am expansive, I talk a lot, and I touch people. Here I became shy, but I’m the same, I just touch less and im a bit careful while I talk to someone.

I guess sometimes I turn away people because I am very, how can I say, Brazillian. I love to hug, I kiss on the cheek. I hold myself a lot here, I try to adapt to the customs, culture is something that I respect quite a lot and, wherever I am, I try to follow the standards that are imposed. The people I’m friend here likes me the way I’m. I still have problems to stop people and invite than for a Jazz Session, how was my mission today. I went alone and spent a while there, drinking a Coca-Cola, thinking why it is so hard for me to make it happen in Norway.

My Expedia challenge of the day was to befriend Norwegians and invite them for an amazing Jazz session that happens every sunday and has free entrance.

Challenge failed. I couldn’t befriend to any new Norwegian, but I met a Brazilian girl who just moved to Oslo to be Diplomat at the Brazilian Embassy. In addition, I enjoyed with Sasha and Roger, form Russia and Sweden. Alex, a Spanish photographer from Valencia, who now lives at the city cooked a delicious and perfect spansk meal for the festival.

 


140838119693803800_thumb

140838121047986500_thumb

[#GoNordic] Jazz and Blues in Oslo / Jazz e Blues em Oslo

ENGLISH BELLOW

NORSK 

 Jazz x Blues: a minha visão sobre o cenário musical em Oslo

Oslo respiramúsica. Você pode se sentir em um rápido passeio pela Aker Brygge e pelo Teatro Nacional que a música fala muito sobre a cidade.

O Oslo Jazz Festival fez o povo norueguês sair de casa aos montes, mesmo com o dia nublado, chovendo, algo que para mim é incrível, já que no Brasil, quando chove um pouco, ninguém sai da toca. As tendas de música estavas lotadas, mesmo as pagas.

Também durante o verão, os entusiastas de música podem experimentar um cruzeiro de Blues no fiorde de Oslo. Os cruzeiros começam em 19 de Junho e vão até o final de agosto.

Eu experimentei o cruzeiro, algo que eu acho que nunca iria fazer se foss epor vontade própria, porque eu tinha uma ideia totalmente diferente sobre o que realmente é. Por 3 horas o barco navega pelas águas gélidas do fiorde de Oslo, e você pode beber um bom vinho e comer o lanche típico norueguês verão: Camarão, pão e maionese. Só isso? Não! Um delicioso som me surpreendeu, e quando eu me encontrei, eu estava curtindo a doce voz da cantora e a balada do Blues. Assisti ao pôr do sol do veleiro de madeira tradicional e desfrutei, como os noruegueses dizem: god mat og god musikk (boa comida e boa música!)

Muitos ritmos, pessoas e  crianças observando e dançando sem vergonha na frente dos músicos. Neste fim de semana Oslo se tornou a capital do Jazz e Blues, mas o que muita gente não sabe é que, durante todo o ano, você pode sentir o amor pela música na cidade.

 

Jazz vs. Blues – my thoughts on Oslo’s music scenery

Oslo breaths music. You can feel in a quick walk around Aker Brygge and National Theater that the music talk a lot about the city.

The Oslo Jazz Festival made the Norwegian people went out from heir houses, even with the cloudy raining day, something that for me is awesome, since in Brazil, when rains a bit, nobody go out form home. The music points was crowded, even the paid ones.

Also during summer, the music enthusiasts can experience a Blues cruises on the Oslo Fjord. The cruises start at June 19 and will continue until the end of August.

I experienced the cruise, something that I do not think I would come for before, because I had a different idea about what it is really. 3 hours sailing through Oslo fjord, drinking a good wine and eating the typical Norwegian summer snack: shrimps, bread and mayonnaise. Just that? No! A delicious sound from a guitar surprised me, and when I found myself, I was enjoying the sweet voice of the singer and the ballad of the Blues. Watch the sunset from a traditional wooden sailing ship and enjoy, like the Norwegians says: god mat og god musikk (good food and good music)!

Lot of rhythms, people and bunch of little kids observing and dancing ashamed in front of the musicians. This weekend Oslo became the capital of Jazz and Blues, but what many people does not know is that during all the year you can feel the love of this music in the city.

 

 
140838100180669500_thumb

140838108636749900_thumb

140826668623664800_thumb

 

 

[Passeios em Oslo/ Tours in Oslo] Oscarsborg Fortress

ENGLISH BELOW

Oscarsborg Festning é um forte costeiro no Oslofjord, perto de Drøbak. Assim que chegamos de Barcelona Tomas disse que seria legal irmos lá, já que o tempo estava ótimo e a temperatura super alta, o que deixaria o passeio bem legal. Convidei a Geneva e o Remi, um casal super bacana. Comecei a falar com a Neva pelo Instagram (modernidade!) e os convidei para irem com a gente. Achei o máximo quando eles aceitaram, foi um passeio muito bom!

A fortaleza situa-se em duas pequenas ilhas. O fiorde era território militar até 2003, quando abriram as ilhas ao público e transformaram em museu. A fortaleza é mais conhecida pelo afundamento do navio German heavy Blücher em 9 de Abril de 1940.

A fortaleza é acessível somente por barco. Um serviço de balsa funciona todos os dias durante todo o ano de Drøbak para Oscarsborg. A travessia de Drøbak leva cerca de 10 minutos e você pode pegar um ônibus para Oslo a cada 30 minutos. Você pode verificar as partidas aqui. De Oslo há um barco, número 602, deixando todos os dias às 10h da Aker Brygge, chegando a 11h15 em Oscarsborg.

Esta fortaleza é uma das 14 fortalezas gerenciadas pela Força Nacional. As fortificações nacionais não mais um lugar importante da defesa, mas sim um espaço turístico e de visitação pública. Com a redução do uso da força  militar (para fins de guerra), tornou possível para abrir as fortalezas para visitação. O Parlamento Norueguês decidiu, em 2002, liberar os fortes para uso civil. O mandato foi abrir as fortalezas para o público e criar fortes “vivos”, com público. Oscarsborg é uma das fortificações históricas mais importantes da Noruega. As ilhas kaholmen foram usadaspara fins militares desde 1640 por causa de sua posição estratégica no Drobaksound, onde o Oslofjord está localizado. Mais sobre a história pode ser vista no Museu da Ilha, com entrada gratuita.

Hoje não há nenhuma atividade militar no Oscar fortaleza, mas um comandante que, em colaboração com atores Oscarsborg quer criar nova vida em solo histórico.

Mais informações aqui.

 

ENGLISH VERSION

Oscarsborg Festning is a coastaline fortress in the Oslofjord, close to Drøbak. As soon as we arrived from Barcelona, Tomas said that would be nice going there, since the weather was great and we had super nice temperature. I invited Geneva and Remi, a  super nice couple. I started talking to the Neva by Instagram (modern!) and invited them to come with us. Was really good when they accepted!It was a great day!

The fortress is situated on two small islets. The fjord was military territory until 2003 when it was made a publicly available resort island. The fortress is best known for sinking the Germanheavy cruiser Blücher on 9 April 1940.

The fortress is only accessible by boat. A ferry service runs every day all year from Drøbak to Oscarsborg Fortress. The crossing from Drøbak takes about 10 minutes and  you can take a bus to Oslo circa 30 minutes. You can check for departures here. From Oslo there are a boat, number 602, leaving every day at 10am from Aker Brygge, arriving at 11h15 in Oscarsborg.

This fortress is one of 14 forts managed by the National Fortification. The national fortifications no longer as important a place in our modern defense. Reduced military use has made it possible to open the fortresses of joy for most people. Parliament decided in 2002 to release the national fortifications to civilian use. The mandate was to open the fortresses to the public and create living fortifications. Oscarsborg is one of the most important historical fortifications in Norway. The kaholmen islands has been used for military purposes sinc 1640 because of their strategic position in the drobaksound, where the Oslofjord is at narrowest. More can be learned at the Museum on the Island, with free entrance.

Today there is no military activity on Oscar fortress, but a commander who, in collaboration with actors in Oscarsborg wants to create new life on historic ground.

More information here

Com Tomas e Remi e Neva; casal querido que conhecemos.

With Tomas and Remi and Neva; great couple that we have met.

140604127023564000_resized

140604002461747800_resized

A praia! Mata a pau muitas que eu conheço!

The beach: super nice, and great temperature!

140604145709887500_resized

Um ano de Noruega!

ENGLISH VERSION BELOW

Um ano em Oslo. Neste mesmo dia 14, chegávamos eu e minha mãe nessa cidade fria. Chovia muito e as malas ficaram para trás. Que belo começo…

Sou brasileira. Amo o meu país, a minha cultura, família e amigos. Quando minha relação com o Tomas chegou no “ou vai, ou racha”, mal pensei ao responder com um sonoro sim. Na verdade eu respondi sem pensar. A medida que a mudança se aproximava eu chorava escondida e ficava imaginando como seria a minha vida longe da minha família e dos meus amigos.

Sempre me perguntam o por quê de querer sair do Brasil. Na verdade eu nunca quis isso, as coisas foram acontecendo e eis que me mudei pra Oslo. Sempre gostei de viajar e já rodei muito, vi a ida para Noruega como um aprendizado, e claro, mudanças que podem ser boas, ou não.

Comecei a sentir na pele o que é ser imigrante assim que dei entrada nos papeis do meu visto. Não é fácil ter um visto e a encheção de saco já começa ao provar meu relacionamento com o Tomas. Fotos de momentos com as nossas famílias, amigos, viagens, carimbos nos passaportes. Tudo isso conta. No total foram 6 meses de espera pelo visto. Eu  não poderia sair da Noruega. Se saísse, só poderia voltar quando o visto fosse aprovado. Eu saí. Saí de Oslo em novembro para o aniversário de 15 anos da minha sobrinha (A “konfirmasjon” do brasileiro), momento importante e que eu não poderia perder. Tomas conseguiu mais uma vez trabalhar a distância, o que não era um problema para mim, que estava na base do homeoffice. Foram quase 3 meses no Brasil, passando calor, aproveitando muito e por fim, morrendo de saudades da Noruega.

Saudades da Noruega?

Sim. Saudades da segurança que Oslo me proporciona. O fato de eu poder sair de casa ao meio-dia e voltar as duas da manhã em segurança: sozinha, caminhando e com o celular na mão. Repito: eu amo o Brasil, quero voltar a morar lá, mas ando chocada com a falta de segurança, principalmente nas cidades que morei. Sempre quando alguém me diz que “odeia o Brasil”, “muita corrupção”, “merda de país” entre outras mil coisas, eu sempre pergunto: o que você ainda faz aí?. Minha teoria é: Brasil, Ame-o ou deixe-o Pelo amor de Deus, não liguem à ditadura!

As mil diferenças entre Noruega e Brasil também são motivos constantes que me levam a pensar o que eu estou fazendo aqui. Eu tenho me esforçado ao máximo para entender que as pessoas aqui não são como as que eu estou acostumada. É engraçado eu escrever isso, mas meu círculo de amizades no Brasil é totalmente diferente do que eu tenho aqui. Em todos os aspectos.Graças a Deus meu dia agora está 200% ocupado, não tenho tempo para pensar em nada. Tenho ligado para minha mãe quando vou pra escola porque não tenho outra hora até pela diferennça de 5h.  Mas a falta que os meus amigos fazem é algo que machuca muito. Não vou nem falar da família, algo óbvio. Mas os meus amigos, aqueles que eu via todos os dias, saia nos finais de semana e sempre ligava… Ah, isso sim doi. Algo que não me acostumei ainda.

E depois de quase um ano, resolvi voltar a escrever a continuação deste post aqui.

Deixo claro mais uma vez que é o MEU ponto de vista. Coisas que eu vi, vivi ou percebi.

  • Se você é brasileira e frequentar uma escola de norueguês prepare-se para ser amada e odiada. Em menos de um mês de aulas entendi que as afegãs, paquistanesas e iraquianas não vão com a minha cara. Depois de chegar na escola e dar oi para elas e, mesmo sem sucesso insistir, comecei a entender que sou persona non grata. Um colega da sala disse que elas têm inveja risos. Como sempre me dei bem com homens, larguei de mão desse povo.
  • Meus vizinhos não conversam comigo, muito menos me cumprimentam, mas amam fofocar. Depois de ficarmos no Brasil por 2 meses, eles notaram o nosso sumiço e mandaram um sms para a dona do apartamento que moramos falando que estavam preocupados com a gente. Resultado: a dona do apartamento louca tentando ligar para gente, mandou um email nervosa, falando que deveríamos ter falado para ela que estaríamos fora. Oi? Quem ama cuida hahahaha
  • Depois de muitas andanças agora acho quiabo, couve (sem gosto), feijão-preto, fradinho, guaraná e polvilho. Mas ainda tenho fé que vou achar molho de alho Pirata e jiló.
  • Na escola os banheiros são unissex. Todo mundo junto e reunido, nada de Meninos – Meninas.
  • Se você encontrar um produto vencido na rede de supermercados KIWI, você leva ao caixa e ganha o valor do produto em dinheiro. Tem gente que vive disso.
  • Existe corrupção na Noruega. Um jornal de grande circulação flagrou um policial de alta patente recebendo dinheiro e outro envolvido com a venda de drogas em Oslo.
  • Desde que eu entrei no curso de norsk meu sogro só fala em norueguês comigo. Quando eu não entendo nada respondo: Ja, Ja = Sim, sim.
  • Norueguês não se despede. Eles simplesmente saem andando e te deixam no vácuo.
  • Não existe senhor e senhora. Se você precisa falar com alguém mais velho, o que no Brasil seria sinal de respeito usar esses termos, você o chama pelo nome. Simples.
  • Me perguntaram se “casei” com o Tomas por amor ou se meu pai pagou. Nunca imaginei que um dia eu passaria por uma situação como essa e o pior, descobrir que a pessoa que me perguntou isso sofre abusos sérios em casa.Tentei ajudar e ela me disse: “Eu tenho uma vida melhor aqui na Noruega, quando eu conseguir o meu passaporte vai ser ainda melhor”. Triste.
  • Algumas pessoas não ligam se você não fala norueguês. Passei um fds com algumas pessoas que não se importaram em falar inglês para que eu pudesse entender e, quando viram que eu estava extremamente sem graça e sem lugar, tentaram reverter a situação. Acabei falando “Agora não precisa, já estamos indo embora”. Não desejo isso a ninguém!
  • Patriotas. Norueguês ama a Noruega e para eles não existe lugar melhor que BH aqui. Em toda casa pode-se ver uma bandeirinha. Obviamente aqui também temos uma: do Brasil. Rá!
  • Se você for convidado para visitar uma cabine (no Brasil seria o sítio o a fazenda de alguém), sinta-se honrado. Como o povo é muito fechado, se algum amigo (não vale familiar) te convidar é porque realmente gostam de você. Ok, gostam de mim hahaha
  • Noruega é o lugar no mundo onde você pode comprar um esmalte pelo preço de uma cadeira; uma manta pelo preço de uma bala e por aí vai. God bless Ikea!
  • Noruega é o país da dupla moral: é um dos países que mais fabricam e vendem armas, mas a polícia não pode andar armada. Entre outros. Vou fazer um post só sobre isso.
  • Aqui é mais barato viajar de Oslo até Warsaw de avião e voltar, do que ir para o aeroporto e voltar: de ônibus.

Fica um vídeo que o Tomas fez! E uma foto que exemplifica bem a maior de todas as diferenças: as 4 estações! música da Sandy and Jr pfv.

 

4 seasons Oslo

ENGLISH VERSION
A year in Oslo! Today, at the same day last year, me and my mom arrived at this cold city. It was raining heavily and our luggage was missed. What a beautiful beginning …

I am Brazilian. I love my country, my culture, family and friends. When my relationship with Tomas arrived at “stay or go”, I havent thought to respond with a resounding yes. Actually i answered without thinking. As the change was coming and i cried hidden wondered how my life would be away from my family and my friends .

People always ask me why i wanted to leave Brazil . Actually I never wanted this , things were happening and behold, I moved to Oslo. I always liked to travel and have ran very , saw the way to Norway as a learning and course changes that can be good or not .

I began to feel on my skin which is an immigrant when i entered in my visa papers. It is not easy to have a visa and pain in the ass already beginning to prove my relationship with Tomas. Pictures of moments with our families, friends, travel, stamps in passports. All this helped. In total there were 7 months of waiting for the visa. I could not get out of Norway. If i got out, i could only return when the visa was approved. I left. I left Oslo in November for the 15th birthday of my niece (The brazillian “konfirmasjon”), important moment and i could not miss. Tomas was once again able to work at a distance, which was not a problem for me, since I was on the base of home office. Were almost 3 months in Brazil, from the heat, enjoying a lot and finally missing Norway.

Missing Norway?

Yeah! I missed the security that Oslo provides me. The fact that I can leave my house at noon and come back at two in the morning safe: alone and walking with the phone in hand. I repeat: I love Brazil, I want to go back to live there, but im shocked at the lack of security, especially in the cities I lived. Whenever someone tells me they “hate Brazil” , ” a lot of corruption ” , ” shitty country ” and among a thousand other things , i always ask : what are you still doing there?. My theory is: Brazil, Love it or leave it.

The thousand differences between Norway and Brazil are also listed reasons why I think what im doing here. Ive been trying my best to understand that people here are not like the ones Iim used to. Its funny I write this, but my circle of friends in Brazil is totally different than what i have here. In all aspects. Thanks God my day is now 200 % busy, have no time to think about anythinghe fact that im far from my friends is something that hurts a lot. I will not even talk about the family, its obvious. But my friends, who I saw every day, go out on weekends and always care … Oh, yes it hurts.

And after a year, I decided to rewrite the continuation of this post here.

I make it clear again that is MY point of view. Things I saw, lived and realized.

  • If you are Brazilian and Norwegian attend school ready to be loved and hated. In less than a month of lessons did that a ouple of girls dont go with my face . After arriving at school and say hi to them , and even without insisting success, I began to understand that I am persona non grata.
  • My neighbors do not talk to me, don’t even greet me, but they love to gossip . After stay in Brazil for 2 months, they noticed our absence and sent a sms to the owner of the apartment we lived were concerned that talking with us. Result: the owner of the apartment got crazy trying to call us, sent an angry email saying that we should have told her I’d be out . We have a saying in Brazil: “Who loves, care”.
  • At school bathrooms are unisex. Everyone “together” and, no Boys – Girls.
  • If you find an expired product at KIWI supermarkets, it takes you to earn the value of the product in cash. Some people live it.
  • There are corruption in Norway. A newspaper caught an officer  involved with selling drugs in Oslo.
  • Since i started the norsk course my father-in-law only speaks to me in Norwegian. When I do not understand anything i say: Ja, Ja = Yes, yes .
  • Norwegian people dont goodbye. They just walk out and leave you alone hahaha.
  • No sir and madam. If you need to speak with someone older, which in Brazil is a sign of respect to use these terms, you call them by name. Simple.
  • A girls asked if I “married ” Tomas for love or if my father paid . I never imagined that one day I would go through a situation like this and worse, find out that the person who asked me that suffers serious abuse at home .I tried help and she told me : ” I have a better life here in Norway , when I get my passport will be even better . ” Sad.
  • Some people do not care if you do not speak Norwegian . They will keep talking in norsk even knowing that you dont speak. Do not wish that to anyone!
  • Patriots. Norwegian loves Norway and for them there is no better place than here. In every house you can see a little norwegian flag. Obviously here we also have one flag: Brazillian. Ha!
  • If you are invited to visit a cabin feel honored. As the people are very closed, if some friend (not worth family ) ask you is because they really like you .
  • Norway is the place in the world where you can buy a table for the price of a nail polish; a blanket for the price of a candy and so on. God bless Ikea!
  • Norway is the country of double standards: it is one of the countries that manufacture and sell more weapons, but the police can not go armed. Among others. I’ll do a post just about that.
  • Here is cheaper to travel from Oslo to Warsaw by plane and back than to go to the airport and back by bus.

Check up a video that Tomas made and a pic that shows the biggest difference btw Norway and Brazil in my opinion: the four seasons.

[Passeios em Oslo/ Tours in Oslo] Free tour

ENGLISH VERSION ABOVE

Toda primavera/verão existem free tours em Oslo. Cada passeio dura cerca de 1h30 e é baseado em dicas. Os ponto de encontro é a da estátua do Tigre na praça Jernbanetorget, também conhecida como Oslo S ou Sentralstajon.

O passeio é totalmente gratuito e foge completamente dos guias turísticos que você lê por aí. Durante este passeio você vai ver o ouro escondido da cidade: as cores, paisagens surpreendentes e o que mais me surpreende a cada dia aqui em Oslo; a street art.

O vídeo abaixo mostra como são os passeios. Eu nunca fiz, mas vou assim que possível! Mais informações na página do Facebook

Veja o vídeo feito por  no final do texto.

 

Free Tours in Oslo

Every spring/summer there are free tours in Oslo. Each tour takes about 1h30 and is based on tips. The meeting point is the statue of the Tiger at Jernbanetorget square, also known as Oslo S or Sentralstajon.

The ride is completely free and flees full of tour guides you read out there. During this tour you will see the hidden city of gold: the colors, amazing landscapes and what surprises me most every day here in Oslo; street art .

The video below shows how the rides are. I never did, but iwill as soon as possible! More information on the Facebook page

Video by 

 

1383619_594234183956379_1855851420_n

[Passeios em Oslo/ Tours in Oslo] Vigelandsparken

O Vigelandsparken fica em Majorstua, no Parque Frogner. Fica a uns 8 minutos de metrô da estação Central.

Eu particulamente adoro levar as pessoas que nos visitam para conhecer o parque. É um lugar lindo, super agradável, florido e que mostra muito sobre o que é a Noruega para os noruegueses: verde. No verão é um parque popular por abrigar milhares de pessoas que lotam o gramado com seus picnics, cervejas and bíquinis! Durante todo o ano pessoas vão ao parque para correr, passear com os pets, bebês…

Vigelandsparken é o maior parque de esculturas do mundo feita por um único artista e está aberto todos os dias do ano. O parque de esculturas é a única obra da vida de Gustav Vigeland, que conta com mais de 200 esculturas em bronze, granito e ferro. Vigeland também foi responsável pela concepção e projeto arquitetônico do parque.

Sem dúvidas um dos passeios imperdíveis em Oslo!

Você pode fazer um passeio virtual aqui.

Vigelandsparken

Nobels gate 32, 0268 Oslo

Tel 23 49 37 00

 


1379284_10151909124318812_994426311_n 1379875_10151909124448812_679270186_n

 

 

De volta à escola depois dos 25

Não é fácil voltar para a escola aos 28 anos e aprender o ABCD!

Comecei a estudar norueguês no dia 27 de fevereiro, após me registrar poucos dias antes e o rapaz falar: “Talvez você tenha que esperar por 3 meses”. Meu primeiro dia foi terrível. Chorei discretamente dentro da sala ao perceber que aprender uma nova língua seria mais do que um desafio: eu teria que voltar à infância, aprender a emitir sons que eu nunca havia anteriormente.

11h45. Entro na sala com o celular na mão e pergunto em inglês para a professora se eu estava na sala correta. Gentilmente e com um sorriso no rosto ela responde, em norueguês, que sim. Durante a chamada eu tentava decifrar os países de onde toda aquela gente havia vindo. China, Paquistão, India…México… Colômbia! Enfim, eu estava pisando em um terreno amigo. Poderia falar em português, quem sabe!

Durante a aula, eu, sentada na primeira fileira e atenta, tentava entender o que a professora dizia. “Forstår du?” (entendeu?). Minha cara de paisagem certamente respondeu por mim. Eu não estava entendendo nada. Chorei que nem uma criança assustada. Ao final da aula Marina, a professora russa que se mudou para Oslo há alguns atrás, se aproximou e disse: “No início é complicado, mantenha a calma e o foco”. Ninguém falou comigo. Cheguei sozinha e fui embora sozinha. Nada de português ou espanhol. Uma ou outra palavra em inglês e todo o resto e que resto, em norueguês. Em casa, Tomas tentava me acalmar. “Não volto mais” – eu dizia. Mas, no dia seguinte, lá estava eu com a minha mochila colorida nas costas, pronta par um novo dia e uma nova professora.

Aida, veio do Kosovo jovem. Já foi dançarina e guia de museu em Bergen. Hoje, aos 38, diz que ama lecionar e não se vê fazendo algo diferente. A aula foi tranquila e antes da pausa ela me perguntou se eu estava bem. Disse que sim e que agora eu me sentia mais tranquila. “Você consegue”. Ela disse e se despediu.

No intervalo foquei em conhecer alguém. Qualquer pessoa que falasse, até porque são tantos meses aqui e nenhum amigo. Mirei na mexicana Vanessa. Apontei e … “Oi Vanessa, você é de onde?” Bullshit. Icebreaker. Ela riu e respondeu em espanhol. A partir desse dia não soltei ela mais. A nós se juntaram Thapa, do Nepal, Vanina e Valentina, da Bulgária, Irina, de Moldova e Alberto, colombiano. Como diria Vanessa: Los latinos. As pessoas com que eu me sento no intervalo, estudo, gargalho e tudo mais.

A outra metade da sala, agrupa aqueles que têm medo da gente. Ao meu ver porque né? Brasileiro, bunda, peito, samba, esteriótipos. Os mesmos que perguntam se eu sei sambar, se eu uso fio-dental e que arregalam os olhos quando eu entro na sala e dou um abraço apertado em cada um do meu “grupo”.  E os mesmos que nunca me dizem oi quando eu chego, o que me faz pensar: aonde foi que eu errei? hehe  (Tentei por uma semana chegar mais cedo, sentar e conversar. Gente, ninguém falava comigo! Pedi ajuda para me epxlicarem uma dúvida, fingiram que não ouviram hahahahahaha).

Duas professoras. Imigrantes, assim como eu, me ensinando norueguês. Me mostrando que a Noruega é um país acolhedor e que não se muda um norueguês. Que eles bebem muita cerveja, são de poucos amigos e que são extremamente apaixonados pela… Noruega!

DCIM101GOPRO

DCIM101GOPRO

Sobre o Norskkurs:

O direito e a obrigação dos imigrantes a participarem em curso de norueguês e estudos sociais  foi consagrado na lei em 1 de Setembro de 2005.

Se você é um cidadão de um país fora da UE / EEE e está na Noruega como um imigrante de trabalho, você tem a obrigação de tomar aulas de norueguês caso ​​mais tarde você deseje solicitar a residência permanente . O governo oferece 550 horas + 50h de Cultura Norueguesa. Se, após o fim das horas você precisar estudar mais, o governo concede um tempo maior.

Mais informações: http://oslo.itamaraty.gov.br/