Tromsø: a Paris do Norte

Há apenas 350km do Círculo Polar Ártico, você encontra Tromsø, uma cidade vibrante e cheia de histórias. Tromsø é um dos melhores lugares do mundo para ver a Northern Lights – Aurora Boreal e passar frio. Muito frio.

A pequena cidade também é conhecida por sua arte, comida e localização cênica espetacular. Não importa onde você está por lá, você sempre estará cercado pelas belas montanhas cobertas de neve ao sair do avião, cruzar a costa por navio, ou simplesmente andando pela ilha.

Durante o século XIX, Tromsø tornou-se conhecida como a “Paris do Norte”. De onde esse apelido saiu ninguém sabe, mas há quem diga que é porque os visitantes vindos do Sul chegavam à cidade e ficavam surpresos pela sofisticação, algo que eles não esperavam ver ao Norte.

 

Destaques em e perto de Tromsø

Claro que se você estiver bem das pernas (bolsos) vale muito fazer os passeios de rena, trenó e etc. Mas como eu sou estudante e aproveitei uma promo de milhas, deixei pra outra oportunidade, já que quero voltar até lá. Mais infos aqui.

Fjellheisen

O teleférico vai de Solliveien em Tromsdalen até  Storsteinen (421 m acima do nível do mar) em apenas quatro minutos. As duas gôndolas, conhecidas como Foca e Urso Polar, tem uma capacidade de 28 passageiros cada uma . Da plataforma de observação na estação superior, você pode desfrutar de vistas panorâmicas espectaculares de Tromsø e as ilhas, montanhas e fiordes. Dizem que durante o verão é um ótimo lugar para ver o sol da meia-noite ou a Aurora Boreal, em seu pico (outubro- fevereiro).

 

Mack Bryggeri Tour

Se você, assim como eu é apaixonado por cerveja, a parada na Mack é obrigatória. Uma das cervejarias mais antigas da Noruega, fundada em 1877, também é dententora do bar mais antigo de Trømso – Ølhallen, que serve mais de 67 tipos de cervejas. O pub Ølhallen abriu as portas em 1928 no porão da Macks Bryggeri, a cervejaria mais ao norte do mundo.

A cervejaria Mack é ainda mais antiga do que Ølhallen. O padeiro Ludwig Mack era um homem religioso que ficou consternado com a embriaguez da classe trabalhadora de Tromsø do século XIX. Nessa época, as pessoas bebiam principalmente shots, e algumas estavam tão constantemente intoxicadas que bebiam de casa e de casa. A cerveja tem muito menos álcool em volume do que bebidas destiladas. Por esta razão, Ludwig Mack estava convencido de que a cerveja poderia ser uma boa troca/ substituição e reduziria a concentração de álcool que as pessoas bebiam. Assim, em 1877 ele começou a produzir a Mack, assistido por seu pai que era alemæo de Braunschweig. A cervejaria é ainda propriedade da família Mack, e tem resistido a todas as tentativas de comprá-lo pelas gigantescas cervejarias internacionais ao sul do círculo do Ártico.

O tour pela antiga Mack é sensacional. O ponto alto para mim foi saber que ao testar novas receitas, os mestres cervejeiros da Mack têm na música o ponto alto: uma planilha junto ao método (cervejeiro) trabalhado, traz uma lista com as músicas que foram ouvidas durante o processo e, caso aprovada, a nova cerveja traz no rótulo um QR code para a playlist no serviço de streaming Spotify. Sensacional!

 

Os tours acontecem de diariamente às 15h30. Mais informações aqui.