Reciclagem: o que acontece com as latinhas e garrafas em Oslo?

Boa pergunta!

Se eu estivesse em BH iria colocar em sacos separados e levar pro meu tio, que recicla, ou iria colocar na porta do vizinho, que também recolhia. Lavava as garrafas/ latinhas, deixava secar e pronto. Fácil, simples e indolor.

Quando cheguei aqui em Oslo eu tinha mais o que fazer e nem me liguei para reciclagem. Continuei separando o meu lixo porque para mim já é o automático: restos de comida – papel – garrafas/latinhas – o resto. Comecei a colocar as garrafas e latinhas já limpos em uma gaveta que temos aqui, queria juntar e depois ver o que era feito aqui, não fazia ideia. Um dia o Tomas começou a levar o que tínhamos aqui de papelão por causa da mudança (dos eletrodomésticos) para um contêiner que fica no nosso condomínio. Foi aí que a explicação para tudo apareceu.

1- Container de Papelão: próprio para o papel grosso.  Deposita no latão e semanalmente alguém busca e direciona para a reciclagem.

2- Container para roupas, sapatos e afins: Falo aqui.

3- Container  para latas: Alumínio, latas em geral. Mesmo esquema do de papelão, porém você tem a opção de fazer a entrega nos supermercados e funciona da seguinte maneira: você junta as latinhas de bebidas e garrafas pet fabricadas na Noruega e vai até um supermercado sinalizado e faz a troca. No site Pant.no eles informam os pontos de troca, além de promoções nas redes sociais.

As garrafas precisam ter a logo que  sinalize o valor: 1Kr ou 2.50Kr, que é o valor a ser resgatado (foto). Detalhe: quando você compra a bebida, eles cobram este valor. Portanto, ao retornar, você recebe o valor investido de volta.

Pant og vinn: se você não quiser receber o dinheiro de volta você pode tentar a sorte e jogar na loteria, através da máquina, com o valor que você “recebeu” pela troca. Só neste ano serão sorteados 35 milhões de coroas norueguesas, cerca de 11 milhões de reais. Parte do dinheiro que você usa pra jogar vai pra Cruz Vermelha. Já imaginou ficar milionário fazendo seu dever como cidadão?

Tomas fazendo a troca! quis ilustrar pra ficar bonitinho.

pet2

Pra finalizar, o comercial da Pant alt para o verão, achei fofíssimo:

Aprendendo a jogar golfe!

Alguns dias atrás fui “jogar” Golfe/Golf tudo certo,pessoal!.  Não sabe o que é Golf carro da VW? Wiki explica: “Consiste em arremessar, com ajuda de um taco, uma pequena bola ao longo de um percurso que termina num buraco, onde a bolinha deve cair.”

Fomos eu, Tomas e o pai dele, Svein Impossível não lembrar do Lucas!. Por quê “jogar”, entre aspas? Simples: não tenho estilo, nem pompa pra praticar Golf. Mas posso dizer que foi uma experiência sensacional e que quero repetir.

Fomos ao clube que o pai do Tomas é associado. O meu primeiro trial foram os lances livres. Fracasso total! Acho que o máximo que a minha bolinha foi foram 5 metros. enquanto os homens lançavam a 100, 150 metros. Shame! Em compensação ao mudarmos dos lances livres para as tacadas direto nos buracos até gostei e me sai bem 😀

Golf

Trade Day na Mesh

No sábado eu e tomas fomos até a Mesh dar um oi pra Kriszti, que estava ajudando no bazar da Fretex em parceria com o Yelp NorwayYelp ♥ DagensOutfit // Trade Day Oslo.

O que é a Fretex?

Do site: “Fretex é a maior cadeia e uma parte importante do Exército da Salvação na Noruega. A primeira loja abriu em Oslo em 1905 sob o nome de Elevator. Desde aquele tempo ele tem para dar às pessoas razões para acreditar no futuro estava no centro. Hoje nós somos. 2.000 pessoas que diariamente têm o nosso trabalho em lojas de caridade, dos quais cerca de 1.600 candidatos a emprego estão participando de vários programas de reabilitação.”.

Em suma: A Fretex arrecada calçados, roupas e afins e revende/doa em lojas próprias em toda a Noruega. Claro, o dinheiro vai pra caridade.  Existem pontos de arrecadação por toda a cidade, inclusive um na minha rua: para calçados e roupas e o outro para garrafas pet (já falei que aqui eles pagam para devolver garrafas/latinhas). Eu levei um tênis que a minha mãe esqueceu aqui (doei muita coisa antes de me mudar) e, ao fazer checkin no app Yelp (localiza e sinaliza bares, restaurantes e apresenta reviews), ganhamos uma bolsa cheia de mimos e uma pulseira que dava passagem livre para a festa que começou às 23h.

No Brasil não existe a cultura de comprar em brechós. Aqui é febre, no caso deste evento, em particular, nós ganhamos tickets referentes ao número de peças que doamos. Mas a oferta de produtos era tão grande que a menina falava: pode levar o que quiser. Meu foco agora são roupas para o inverno: casacos, segunda pele… Não encontrei nada para mim, então pegamos um casaco meia-estação da Puma pro Tomas e uma blusa nova, em perfeitas condições da Nike pra um amigo nosso, o Fabry.

Vou fazer um post sobre a Mesh, mas para tentar clarear, o prédio tem a seguinte estrutura: Escritórios, Café Mesh – Uma cafeteria e ponto de encontro. Lá é aonde acontecem as Creative Mornings Oslo. No primeiro andar, ao lado do café, existe um espaço que todas às sextas se transforma em um bar/boate. Foi onde aconteceu o Trade Day. No segundo andar, fora da estrutura dos escritórios compartilhados, o pessoal montou um salão de beleza para quem foi: cabeleireiros à disposição e sem fila! Manicure, curso de Pole Dance e massagem! Como nós já tínhamos outros planos, ficamos pouco tempo por lá, uma pena! Detalhe: tudo de graça. Roupas usadas em ótimo estado, de graça e dia de beleza também!

O Tomas tirou algumas fotos, olha que legal a estrutura:

Vista geral Mesh

Vista parcial

Coiffeur

Pole Dance

Minhas impressões após 3 meses em Oslo!

O tempo voou e já se foram 3 meses que cheguei aqui em Oslo.

Tudo tem caminhado bem, a Noruega tem sido ótima pra mim… Faço o que eu gosto, tô fazendo um networking super bacana na minha área, minha permanência foi encaminhada… Enfim, só a saudade da família e dos amigos é que é grande.

Nesse tempo muita gente me perguntou como é a vida aqui, quais as diferenças, etc. Então aos poucos tô montando essa lista.

Deixo claro que é o MEU ponto de vista. Coisas que eu vi, vivi ou percebi.

Vamos aos pontos:

  • Aqui você consegue comprar uma mesinha para a sua sala na Ikea pelo mesmo valor de um cachorro quente, 30kr.
  • Você ganha dinheiro devolvendo as garrafas pet e latinhas. Existe uma máquina em alguns pontos (normalmente supermercados). Você junta as garrafas em casa e troca por uma quantia mísera, mas que convenhamos, dá até pra comprar uma blusinha de 50kr na HM.
  • Ao contrário do que você já leu por aí, os noruegueses são ótimos. ÓBVIO que são muito diferentes de nós, brasileiros. Meus vizinhos não ficam rindo pra mim, nem trazem bolo quentinho como no Brasil, mas são educados e isso é o que conta. Quando você não os conhece eles são pé atrás, depois se soltam, te ajudam com a língua e até fazem algumas piadinhas sem graça.
  • O arroz e o feijão aqui são conhecidos como batata. Na maioria das vezes cozida e sem sal. E não existe almoço. O jantar é servido às 17h. No “almoço” se come uma salada ou sanduíche natural.
  • É um país muito caro. Mas as pessoas ganham muito bem, então os preços são super elevados para uma mera mortal brasileira. Uma cerveja de 0.5l custa 30 reais. 1kg de filé mignon Picanha, saudades! pode sair por até 200 reais e por aí vai…
  • Alguns noruegueses não ligam pra moedas. Aqui em casa eu encontro em todo canto e no chão, fora do prédio. Uma moeda de 20kr = 6,6. Eles odeiam receber moedas.
  • Você precisa tirar os sapatos quando você entra na casa de alguém. Questão de educação. Para os noruegueses, quando você volta da rua, você traz a sujeira pra dentro de casa.
  • Existem muitos pedintes nas ruas. E a recomendação do governo é não dar dinheiro. A maioria são ciganos vindos da Romênia.
  • O transporte público funciona muito bem. Na parada existe um painel com o tempo médio de espera. E nunca atrasa.
  • Sol não é sinônimo de calor. O dia pode estar lindo e azul, mas isso não significa que você vai ter 25. Reze por 20 graus. Mas se contente com os  15 que irão fazer. Mesmo com esse tempo você vai ver crianças felizes nas piscinas, se divertindo e achando o máximo.
  • Venta muito por aqui. E a parte chata: o vento é gelado.
  • As estações do ano são muito bem definidas. Você vê e sente as mudanças.  As lojas já estão com os produtos para o outono e não se acham mais roupas de verão.
  • O clima é louco. Em uma semana você tem uma variação de 10 a 27 graus, passando por chuva incessante, garoa e claro, frio.
  • A população ama um parque. Sempre vão te convidar para ir ao parque andar, correr, comer, nadar. Eles super populam os parques e cuidam muito bem deles.
  • A renda é bem distribuída. Não existem pessoas passando fome. As diaristas andam em BMWs assim como os patrões. As pessoas se vestem de maneira muito simples. Impossível perceber que eles são ricos pela maneira que eles se vestem, pelo carro que andam ou pela maneira que eles te tratam. E não ligam sobre como se vestem.
  • Os noruegueses não respeitam fila. Pode ser idoso, grávida, eles tão nem aí. Entram na frente mesmo. Empurram. São extremamente sem educação e arrogantes nesse quesito. Só vão respeitar se você tiver senha.
  • Não existe lixeira no banheiro. Usou papel, joga no vaso. No caso das meninas, ainda não descobri uma resposta hehe

3mesesoslo

Tenho me surpreendido muito com o governo norueguês, mas é assunto pra outro post.  Nesses 3 meses aprendi muito, falo o mínimo da língua, mas entendo o bastante para me intrometer em uma conversa rs Conheci muita gente, mas morro de saudades dos meus amigos, como sinto falta deles!

Indo às compras na Suécia!

Ir ao supermercado aqui em Oslo além de tentador é caro (muito). O governo impõe muitas taxas sobre os produtos e com isso, a conta sai cara.

O que é muito comum entre os habitantes aqui em Oslo é ir até a Suécia fazer as compras do mês. Em 1h30 você passa a fronteira e já está em Strömstad, cidade que fui junto com a Carolina fazer compras.

A coroa sueca é menos valorizada do que a coroa norueguesa, o que faz com que os noruegueses viagem, em grande número até a cidade para comprar roupas, bebidas alcoólicas e artigos para o dia a dia.

O local é tentador. Existe um supermercado, um Vinmonopolet e uma loja só de doces: Candy World (mesmo quem não gosta fica louco com tantas cores e variedades).

Gastamos umas 4h com as compras e então a Carolina me levou pra conhecer a cidade: muito limpa e graciosa!

No final a brincadeira foi ótima: poupamos um bom dinheiro fazendo as compras do mês, coisa que o Tomas nunca ligou, mas depois que eu vi a facada os preços por aqui, resolvi colocar tudo no papel e sem dúvidas, comprar na Suécia é a melhor opção!

Muita gente faz esse caminho para contrabandear álcool, já que aqui é ainda mais caro. E não acredito que seja complicado, já que não vi absolutamente nenhum policial/agente de imigração na fronteira.

IMG_5882 IMG_5883 IMG_5888 IMG_5898