Creative Mornings Oslo

Mais um projeto!

Fui convidada a fazer parte do time do Creative Mornings, edição Oslo!

Minha primeira participação foi ontem. Os preparativos começaram na segunda-feira. Fomos até uma Cafeteria super bacana aqui na cidade e viramos baristas por um dia, já que um dos nossos sponsors, Tim Wendelboe, nos ensinou como “tirar” um café perfeito.

IMG_4465

 

IMG_4480

 

Na terça pela manhã cerca de 50 pessoas compareceram  à Cafeteria da Mesh (que está fechada por causa das férias de verão) para a palestra com Silja Leifsdottir que falou  sobre a cena de arte em Oslo, e alguns exemplos de espaços de galeria na cidade. Além disso, explicou sobre o termo espaço, como por exemplo quando pode ou não ser no contexto da arte contemporânea a partir de cubos brancos clássicos para pequenos corredores em alguém porão. Em suma: espaços e porque eles existem!

Ótima forma de se começar um dia: conhecendo gente bacana, aprendendo e tomando um bom café!

 

IMG_6281

 

CM

Oslo 31 graus

Poderia ser uma paródia da famosa Rio 40 graus de Fernanda Abreu, mas não é. Não temos o caos, mas Oslo tem sido mais do que uma maravilha!

Eu sempre achei que o máximo que eu vivenciaria aqui seriam 25 graus. Talvez 28. Mas a mãe natureza resolveu me presentear not com 31 lindos graus, com direito a mergulho na praia e farofada com os amigos em Ormoya, que é uma ilha – Fjord !

Sempre dizia ao Tomas que eu nunca iria a praia aqui porque a água era gelada. Tirei a conclusão quando fomos a um parque nas redondezas de Oslo e fui tentar entrar na água. Dois passos e desisti. A água estava a 18 graus e a galera adorando. Eu ali, parada, morrendo de frio.

Minha conclusão é que o verão daqui agora é perfeito pra mim: 26 graus, às vezes 28 ao sol. Sempre amei calor, sol, mas acredito que a partir de agora não vou conseguir mais ser feliz aos 38 graus ou mais que eu amava no Rio de Janeiro ou em BH.

Não tenho reclamado porque a partir de outubro a coisa muda pra pior e eu preciso me preparar para os dias de escuridão merda.

Enfim, os dias estão lindos, claros e longos. E foi assim que eu fiz a minha estreia no Mar da Noruega.

Um verão perfeito em Oslo!

IMG_6199

 

999356_10151749591230926_224079798_nIMG_62101070062_10151752206940664_1652443054_n

 

Desmistificando mitos: Guaraná Antarctica

Nunca fui fã de guaraná.

O Tomas adora e nunca encontrou por aqui, até que alguns dias atrás estávamos na Sentralstajon a caminho do porto (para viajar à Copenhagen), paramos num 7-Eleven e enquanto eu decidia o que comprar, o Tomas encontrou o danado do Guaraná Antarctica. Comprou e já saiu bebendo. Achamos por 33kr,cerca de 11 reais a latinha – 355ml. Não é muito caro pros padrões noruegueses.

Imaginei que iria encontrar por aqui, mas não no 7-Eleven! Resta agora saber em quais eu vou encontrar. Ao menos no do Jernbanetorget eu tenho certeza que você encontra 😀

A Pri, amiga que mora aqui, fico sabendo que existe a garrafa à venda no Deli Deluca, uma delicatessen metida a chique mas é o ó daqui. Irei conferir!

 

Guaraná

Desmistificando mitos: quiabo!

Quem me conhece sabe que eu amo quiabo e jiló. Cheguei aqui em Oslo arrasada, já fazendo planos com a minha mãe pra ele me enviar quiabo e blá blá blá.

Num belo dia, andando por Gronland, um bairro de imigrantes em sua maioria vindos do Oriente Médio, minha mãe me grita e eu, super assustada corri pra ver o que era. QUIABO. Aqui, chamado de Okra. Imaginem a minha alegria ao ver que nem tudo estava perdido, agora eu poderia comer meu quiabinho.

Minha experiência: Numa escala de 0 a 10, dou 7. O quiabo não é cultivado aqui, então já chega mais velho, mas, digo com alegria que meu primeiro mito foi desmistificado!

Habemos Quiabo em Oslo!

Bucket_of_raw_okra_pods

Sol da meia-noite!

Muitos conhecem como Crepúsculo (não, não tô falando dos filmes), outros por Sol da Meia-Noite. Eu nunca havia presenciado coisa tão linda como todos os sois que tenho visto à noite. Agora em julho fica mais intenso, ou seja, a luz do dia vai ser ainda mais presente!

Mas o que é o Sol da meia-noite? O fenômeno ocorre nas proximidades dos pólos terrestres, durante o verão, quando o Sol pode ser visto 24 horas por dia. Isso acontece porque a inclinação do eixo da Terra em relação ao plano da sua órbita faz com que a luz solar incida quase perpendicularmente sobre os pólos, durante seis meses de cada ano. Entre outubro e março, o Sol acontece no Pólo Sul; de abril a setembro, no Pólo Norte.

Então, até o início do outono, que está na Escandinávia, como eu, (Noruega, Suécia, Finlândia e Dinamarca), pode presenciar esse fenômeno incrível!

Oslo à meia noite:

IMG_5950 IMG_5808