Sem-teto são transformados em pontos de internet wifi nos EUA

Hotspots oferecidos pelos sem tetos. Essa ideia sensacional é da agência BBH New York.

Os participantes do SXSW Interactive, em Austin (EUA), puderam conhecer e testar o serviço 4G oferecido pelos sem-teto, pagando a partir de $2 dólares para 15 minutos de navegação.

Eu achei super bacana. Ao invés de roubar, matar ou se prostituir, eles viraram garotos-propaganda da BBH e de quebra, ganham um dinheirinho. Nos EUA a discussão é intensa.

Todos os rendimentos pagos para o acesso vão diretamente para a pessoa que vende o acesso, via paypal.

Saiba mais aqui

Dita von Teese na campanha da água Perrier

Linda, sexy e agora na versão “água mineral puro luxo”.

A parceria não é nova, acontece desde 2010. A stripper burlesca mais famosa do mundo resolveu misturar o Licor Cointreau com a água mineral francesa Perrier.

O rótulo, criado por designers do estúdio Hartland Villa, de Paris, remonta o universo das pin-ups das décadas de 30 e 40 em tons de preto, prata e verde, em uma extravagante releitura da arte burlesca.

Esta edição inédita no Brasil, chamada Burlesque, traz como proposta transformar o cotidiano gesto de tomar água em uma atitude de estilo e sofisticação.

A propaganda idealizada por uma agência holandesa mostra Dita em cenas altamente sensuais, se molhando com o produto. Dita Von Teese sensualiza até uma inocente garrafa d’água.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

As garrafas de vidro podem ser encontradas na versão de 330ml.

E a União Europeia vai bem, né?

Uma propaganda veiculada na União Europeia foi retirada do ar após gerar protestos e reações negativas. O comercial foi acusado de promover estereótipos, xenofobia e até racismo. O roteiro mostra uma mulher branca vestida como a personagem principal do filme kill Bill , usando um uniforme nas coresamarelo e azul (as cores da UE).

Três lutadores: um de kung fu, um de capoeira e outro de kalaripayattu, arte macial indiana invadem o galpão e ela se sente ameaçada. Nenhuma palavra é dita, mas as referências a China, Brasil e Índia são claras (com direito a samba na entrada do Brasil).

Sob o slogan ‘The more we are, the stronger we are” (“Quanto maior nosso número, maior nossa força”), o vídeo foi acusado de perder o tato no tratamento que escolheu dar aos estrangeiros, além de mandar uma mensagem política muito clara: BRICS e UE não são aliados.

A comissão da União Europeia se explicou dizendo que “o vídeo mostra personagens típicos de gêneros de artes marciais: kung fu, capoeira e kalaripayattu; ele começa com uma demonstração da habilidade deles e termina com todos os personagens mostrando seu respeito mútuo, em uma posição de paz e harmonia”.

Muito irônico para quem no momento, sofre uma das maiores crises econômicas da história, não só por um país. O que Espanha, Portugal e Grécia teriam a comentar? A Europa em crise perdeu a sua racionalidade.

Vi no Exame.com